E habitarei no meio deles: Um estudo sobre as diversas formas de sacrários

Mauro Maia Fragoso, Jéssica Costa Fernandes Pereira

Resumo


O texto analisa função, formas e símbolos presentes nos sacrários contextualizando-os no tempo e no espaço. Tratando-se de um bem integrado e objeto litúrgico do culto cristão, o sacrário está diretamente relacionado à ação humana. Neste sentido, a trama literária acaba por envolver outras áreas do conhecimento humano como a liturgia, a teologia, a historiografia, a geografia e a espiritualidade. Pelo aspecto historiográfico, o tema remonta ao culto veterotestamentário como prefiguração e preparação para o culto cristão. Neste sentido, o Templo e a Arca da Aliança são tomados como figuras do tabernáculo eucarístico, uma vez que o Templo e a Arca abrigam elementos do culto judaico como prefiguração do Messias esperado. Por outro lado, uma das formas encontradas nos tabernáculos foi a da pomba. Esta, por sua vez, remonta à pomba abrigada pela Arca de Noé, que haveria de ser a anunciadora de uma nova era pela encarnação do Verbo. Dentre outras formas abordadas, encontra a Torre como símbolo de fortaleza e proteção régia. Pelo aspecto semiológico, essa forma se remete a Jerusalém celeste como morada definitiva do povo cristão, ou ainda à Maria como a Torre de Davi, invocada na ladainha lauretana. Independentemente das formas recebidas ao longo dos tempos, os gostos de épocas e do espaço, a finalidade do sacrário é abrigar a reserva eucarística e servir como lugar de encontro entre Deus e os homens.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.