A compaixão pelos infortunados: uma filosofia weiliana sobre a misericórdia como elemento ético e místico

Robson de Oliveira Silva, Thobias Costa Lopes

Resumo


Resumo: O presente artigo procura refletir sobre o conceito de compaixão sobrenatural na filosofia da pensadora francesa Simone Weil, apresentando-o como práxis de um indivíduo descriado, que consegue através da graça divina sair de si mesmo e ir ao encontro do malheurex. Para se chegar a esta conclusão, o presente texto inicia-se tratando da filosofia weiliana como um modo de viver, e da maneira como esta noção metafilosófica se encaixa na vida de Weil. Assim, pode-se compreender que o sofrimento humano é sobretudo o propulsor de sua filosofia, e este mesmo sofrimento a impulsiona para uma mística filosófica. É através do infortúnio, ou seja, do malheur que a pensadora francesa experimenta a extrema angústia não como aniquilação, mas como presença de Deus. A filosofia weiliana vê aí a possibilidade de uma união a Cristo crucificado, e a partir deste êxtase sofredor e contínuo, um meio de compromisso ético com aqueles que passam pela infelicidade extrema.

Palavras-chave: Simone Weil. Sofrimento. Ética. Malheur. Mística filosófica.

Abstract: This article seeks to reflect on the concept of supernatural compassion in the philosophy of the French thinker Simone Weil, presenting it as thepraxis of a decreated individual, who manages, through divine grace, to leave himself and go meet the malheurex. To reach this conclusion, this text begins with Weil’s philosophy as a way of living, and the way this metaphilosophical notion fits into Weil’s life. Thus, it can be understood that human suffering is above all driving force behind his philosophy, and this same suffering propels it to a philosophical mystique. It is through misfortune, that is, the malheur, that the French thinker experiences extreme anguish not as annihilation, but as the presence of God. Weil’s philosophy sees there the possibility of a union with Christ crucified, and from this suffering and continuous ecstasy, a means of ethical commitment to those who go through extreme unhappiness.

Keywords: Simone Weil. Suffering. Ethics. Malheur. Philosophical mystique.


Texto completo:

PDF

Referências


Referências

ARCHÉ. In: ABBAGNANO, Nicolla. Dicionário de filosofia. Tradução Alfredo Bosi.

São Paulo: Martins Fontes, 2007. 1210 p.

BUENO, Denis Andre Bez; VALLE, Bortolo. Simone Weil: ser e sofrimento. Curitiba:

Appris, 2019. 147 p.

CANTALAMESSA, Raniero. A pobreza. Tradução Maurício Ruffier (SJ). 3. ed. São

Paulo: Loyola, 2003. 92 p.

DI NICOLA, Giulia Paula; BINGERMAN, Maria Clara Luccetti (orgs.). Simone Weil:

ação e contemplação. Bauru: Edusc, 2005. 257 p.

MARTINS, Alexandre Andrade. A pobreza e a graça: experiência de Deus em meio ao

sofrimento em Simone Weil. 1. ed. São Paulo: Paulus, 2013. 292 p.

METAFILOSOFIA. In: ABBAGNANO, Nicolla. Dicionário de filosofia. Tradução

Alfredo Bosi. São Paulo: Martins Fontes, 2007. 1210 p.

PAIXÃO. In: ______. Dicionário de filosofia. Tradução Alfredo Bosi. São Paulo:

Martins Fontes, 2007. 1210 p.

PANENTEÍSMO. In:______. Dicionário de filosofia. Tradução Alfredo Bosi. São

Paulo: Martins Fontes, 2007. 1210 p.

RATZINGER, Joseph. Homilias sobre os santos. São Paulo: Quadrante, 2007.

______. A infância de Jesus. São Paulo: Planeta, 2012.

REALE, Giovanni. O saber dos antigos: terapia para os tempos atuais. Tradução Silvana

Cobucci Leite. São Paulo: Loyola, 1999. 260 p.

WEIL, Simone. Carta a um religioso. Tradução Monica Stahel. Petrópolis: Vozes,

56 p.

______. Espera de Deus. Tradução Karin Andrea de Guise. Petrópolis: Vozes,

205 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.