O Desencantamento do Mundo e o Advento da Autonomia: 30 anos da História Política da Religião de Marcel Gauchet

André Magnelli

Resumo


Resumo: O Desencantamento do Mundo: uma História Política da Religião, de Marcel Gauchet, publicado há 30 anos (1985), é um clássico contemporâneo, ainda a ser descoberto, de estudos da religião, a ser posto ao lado de Durkheim, Weber e Eliade. Munido de uma ontologia do social, herdada de Lefort, mas a desenvolvendo através do conceito de “religião primeira”, construído a partir da tese de Clastres das “sociedades contra o Estado”, ele analisa as transformações estruturais do esquema político-religioso na longa duração, desde os regimes de heteronomia das sociedades religiosas até o advento do regime de autonomia das sociedades democráticas. Concebendo a história do Ocidente como um processo de “saída da religião” operada pela dinâmica da transcendência, ele interpreta o advento do Estado, entendido como transformador sacral, como sendo uma revolução religiosa, que foi seguida por uma segunda grande revolução operada com o advento das “religiões universais” da Era Axial, sobretudo com o monoteísmo judaico e a bifurcação do cristianismo. Entendendo o cristianismo como “religião da saída da religião”, ele analisa o trabalho simbólico que preparou a revolução democrática no Ocidente, que, tendo iniciado a era do m da religião, não deixa, contudo, de colocar em curso uma nova dinâmica do religioso no interior das democracias modernas. Após três décadas da publicação e tendo em vista que a obra ainda é largamente desconhecida do público brasileiro, é importante apresentar suas fontes e as teses principais, de forma a trazê-lo para a discussão acadêmica brasileira. 

Palavras-chave: Religião (História Política da). Político (o). Religião. Secularização. Democracia.

The Disenchantment of the World and the Advent of Autonomy: 30 years of the Marcel Gauchet’s Political History of Religion 

Abstract: Marcel Gauchet’s e Disenchantment of the World: A Political History of Religion, published 30 years ago (1985), is a contemporary classic yet to be discovered of studies of religion, to be placed beside Durkheim, Weber and Eliade. Provided with a social ontology inherited from Lefort, but developing it through the concept of “primeval religion” constructed from the Clastres’ thesis of “societies against State”, he analyzes the structural transformations of political- religious scheme in the long duration, as of the heteronomy regimes of religious societies until the advent of autonomy regime of democratic societies. Conceiving the history of Occident as a process of “departing from religion” operated by the dynamics of transcendence, he interprets the advent of the State, understood as sacral transforming agent, as a religious revolution, which was followed by a second major revolution operated with the advent of the “universal religions” of the Axial Age, especially with the Jewish monotheism and the bifurcation of Christianity. Understanding Christianity as “religion of departing from religion”, he analyses the symbolic work who prepared the democratic revolution in the West, which, having started the end of religion Age, it does not stop however new dynamics of religious within modern democracies. A er three decades of publishing and given that the work is still largely unknown to the Brazilian public, it is important to present its sources and the main theses of the book, in order to bring it to the Brazilian academic discussion.

Keywords: Religion (Political History of). Politics (the). Religion. Secularization. Democracy. 



Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.